sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Solta o grito

Foram 4 jogos decepcionantes.

Foram 3 jogos sem a vibração de um gol, o grito estava contido.

Ontem veio a euforia, a satisfação. A alegria está de volta. Tudo está novamente na sua ordem natural.

Gritei demais nos 4 gols, especialmente no primeiro e terceiro. O primeiro por causa do grito que estava engasgado, enquanto que o terceiro foi pela pintura do lance.

No segundo a apreensão pela batida do Obina. Confidenciei ao meu pai que ele não era o mais indicado, deveria ser Diego Showza, pois apesar de não ter feito o seu, jogou demais. Chamou o jogo para si, distribuiu bolas, meteu na trave, um monstro, um monstro. Obina bateu, quase perdeu, mas fez mais um na noite que foi sua e dos torcedores.

O quarto gol, terceiro do Obina teve um simbolismo.

Em primeiro lugar relembrar aos gambás os 3 gols metidos por ele no último confronto. Em segundo, posicionar a impren$a de 4 e mostrar que o gigante está vivo.

Na quarta-feira no Arena Sportv teve uma discussão sobre a possível vitória alviverde. Alguns achavam que o Palmeiras deveria vencer e convencer, pois os pontos perdidos nos quatro jogos sem vitórias, abalou psicologicamente a equipe. Para o Cléber Machado, apenas a vitória já seria importante (no que eu concordei). Mas para a tristeza geral, a vitória foi acachapante, decepcionando à todos os secadores.

A rodada só não foi mais perfeita, porque os bambis conseguiram vencer o Inter, mesmo com as calças nas mãos e a calcinha suja, de tanta sorte que deram na partida.

Espero que na próxima rodada, o Barueri jogue muito contra eles, com mala ou sem mala e principalmente que o Fernandinho jogue demais, para não levantar suspeitas (alguém acredita?).

Mais uma vez sou o líder, mais uma rodada para continuarem me secando.

2 comentários:

Hiran Eduardo Murbach disse...

líderes!!!!
pq aqui é Palestra

Binóculo Verde disse...

Grande Hiran....

Felicidade sem fim!!!