segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A História de um grande filho não termina, vive no coração de sua mãe

Tudo o que o Guerreiro Vitor tinha a dizer, foi publicado em alguns dos posts anteriores. Para facilitar toda a leitura de quem não acompanhou, farei num único post, os links para acompanharem de maneira mais cômoda sua história.

Este post de hoje, será todo dedicado para sua mãe, Viviani, uma mulher que admiro sem conhecê-la pessoalmente. Sua dedicação e perseverança foi impressionante. É a existência de pessoas como ela, que realmente faz a vida valer a pena.

"Relembrando os momentos de nossas vidas ao lado do Vitor.


Sempre levávamos o Vitor passear em Barra Bonita - SP desde que ele era ainda pequeno.  Lembro-me que a primeira vez foi em janeiro de 1996 e o Vitor tinha apenas três meses de vida.
Vitor sempre gostou muito de passear nesta cidade e nós também.


Em janeiro de 2008, quando o Vitor estava na cadeira de rodas e iria começar mais um ciclo de quimioterapia venal, resolvemos levá-lo para fazer este passeio pois era de sua vontade e havíamos combinado, antes do tumor voltar, que iríamos em janeiro.


Vitor e seu pai Carlos em Barra Bonita-SP
Tínhamos tudo para não ir, mas fomos. Nosso filho com câncer, numa cadeira de rodas, o que para outros podia parecer um obstáculo, para nós e para o Vitor não foi. Sem contar que ele iniciaria a quimioterapia na segunda-feira e nós fomos no sábado e voltamos somente no domingo a noite.


Foi realmente uma aventura cheia de muita emoção. Valeu a pena e hoje vendo as fotos deste dia, vejo que o Vitor estava feliz e curtiu cada momento do nosso passeio de férias em Barra Bonita – SP, mesmo estando em sua cadeira de rodas que, na época nem era a motorizada.


Fico pensando nas pessoas que tem tudo para aproveitar a vida e não a fazem.
Pessoas que tem o principal que é a saúde e podem se locomover com suas próprias pernas, mas passam a vida inerte, isto é, sem se mexer. Não fazem nada para si e nem para as pessoas que a rodeiam.


Uma pescaria, um passeio para uma cidade próxima, não custa caro e faz tão bem aos nossos filhos e a nós também. Não é preciso viajar para o exterior ou outras cidades de nosso próprio país para ensinarmos aos nossos filhos sobre culturas diferentes, isso eles aprendem sem sair de casa, lendo livros, pesquisando na internet e nas escolas. Mas é preciso passear com nossos filhos, passeios curtos ou demorados, isto não importa, em cidades próximas ou distantes, ou mesmo em nossa própria cidade. O importante é estamos juntos de corpo e alma, procurando fazer de cada passeio um momento único e inesquecível em nossas vidas, pois são nesses passeios que a família fica mais próxima e, os pais podem dar mais atenção aos seus filhos, aumentando assim o vínculo familiar.


Temos que pensar que aquele dia não irá voltar mais e que não teremos outra oportunidade igualzinha aquela, pois mesmo que retornemos aos mesmos lugares, com as mesmas pessoas, as situações jamais serão iguais. Cada momento é único e isso precisamos saber para que façamos tudo com muito amor e carinho, alegrar os que estão em nossa volta, para alegrar nossos filhos e também a nós mesmos.


Vitor e sua família almoçando na casa de seus amigos Roberto e Amália
Voltando a falar do passeio que fizemos em Barra Bonita – SP em janeiro de 2008.
Nós não fomos com a intenção de dormir lá, pois nem levamos roupas para isto. Tinha somente levado roupas suficiente para o Vitor e para a Vivian, pois sempre tive o costume de levar trocas de roupas para as crianças quando saiamos a passeio, independente da distância, isto antes mesmo do Vitor adoecer.


Acho que quem tem filhos deve estar sempre prevenido, caso o tempo mude ou se as crianças vão se sujar ou derrubar aquele sorvete delicioso em suas roupas ou mesmo refrigerante e, então, sem estresse. É só trocar e voltar a se divertir, não é mesmo! Os meninos não ligam tanto quando isto acontece, já as meninas se incomodam em ficarem com suas lindas roupinhas sujas ou mesmo molhadas, experiência própria! Mas há exceções é claro. De qualquer modo é bom prevenir do que ficar brigando com as crianças para não se sujarem ou mesmo para não derrubarem sorvete na roupa nova, isto nada a ver não é mesmo! Como diz minha filha Vivian: “Mãe deixa eu ser feliz”. E é isso mesmo, criança precisa brincar, se sujar, se lambuzar e acima de tudo, ser feliz. O Vitor era uma criança muito feliz, podem ter certeza disso!


Lembro-me que quando ele a e Vivian eram menores, eles brincavam na terra, no barro na casa de minha mãe e se encardiam, depois eu deixava seus pezinhos de molho numa bacia com água e sabão em pó Omo, para que assim se limpassem de tão encardidos que ficavam. Pediatras de plantão, isto pode? Obs:- Eram só os pés, OK! Eles adoravam.


Uma dica, que tal inventarem um sabonete líquido que tire o encardido de terra dos pezinhos dos nossos anjinhos. Não é uma boa idéia?


Vitor ao lado do Roberto segurando seu presente
Pensei que esta seria a última viagem que fazíamos em Barra Bonita – SP com nosso filho Vitor, mas não foi. Em julho deste mesmo ano (2008), voltamos novamente com ele para mais um passeio e desta vez ele já estava com sua cadeira de rodas motorizada e, devido ao tratamento de quimioterapia e a sua doença, Vitor estava mais cansado e tomava mais remédios. Tenho para mim que ele sentia dores nesta época, só que não reclamava. Este foi nosso passeio de despedida com o Vitor e desta vez ficamos na casa dos amigos Roberto e Amália que, o conhecemos em razão do Vitor ter comprado o  quadro de argila do peixe Cachara, na banca deles em nossa viagem de janeiro 2008.    


Vitor caiu de sua cadeira de rodas motorizada neste passeio, mas por sorte não se machucou. Quem viu foi o Carlos, Roberto e a Vivian que estavam passeando com ele numa praça próximo da casa do Roberto, isto num domingo antes do jogo do Palmeiras.


Lembro-me que o Vitor quis assistir o jogo do Palmeiras pra só depois viajarmos para nossa cidade e, assim, esperamos acabar o jogo para podermos retornar para Cerqueira César – SP.


Vivian, Carlos e Vitor
Não foi um passeio legal desta vez, pois o Vitor não pescou os peixes que tanto queria; Neste dia ventou muito e, assim, não estava bom para pescaria, isto sem contar que o Vitor não se sentia muito bem e nós estávamos muito preocupados com ele e com o tratamento que não parecia estar resolvendo.


Nem sei como tivemos tanta força para procurar fazer suas vontades e distraí-lo para passar o tempo e procurar mostrar a ele que poderia fazer ainda muitas coisas das quais gostava, como por exemplo: pescar.      


Talvez muitos de vocês se perguntem o que faz uma mãe ficar escrevendo sobre seu filho que já não está mais aqui. Pois para aqueles que não conseguem ainda entender a dimensão do meu amor e do Carlos pelo nosso filho Vitor que partiu, eu lhes digo: Nossa intenção é que nossa história mais a história do Vitor, possa ajudar muitas pessoas a refletir mais sobre suas vidas e procurarem dar mais valor a ela, a sua família, a seus filhos, aos seus amigos e, também, a ter mais aceitação e amor ao próximo!  


Não queremos que tudo o que vivemos ao lado do nosso filho Vitor que, partiu antes mesmo de completar seus 13 anos e, também de tudo o que ele passou antes de partir enfrentando a doença, seja esquecido. Enquanto ele for lembrado, ele permanecerá vivo em nossos corações e se fará presente em nossas vidas. Hoje sei que seu sofrimento e o nosso não foi em vão, pois através da divulgação de sua história real, ele tem ajudado muitas pessoas e mudou a vida delas para melhor, isto tenho certeza, um exemplo disto são as mensagens que chegam para nós pelos e-mails e nas caixas de comentários de sua historinha no site www.saudadeeadeus.com.br, o qual foi o primeiro que divulgou sua história.


Lembro-me que dois dias antes do Vitor partir, ele me falou que rezava para quem fosse do mau, virasse do bem e que ele gostaria de ajudar as pessoas. Hoje vejo o desejo de meu filho sendo realizado, através da divulgação de sua história, do exemplo de vida que ele deixou.


Apesar de estar sendo muito difícil para nós darmos continuidade na história de nosso filho Vitor, tenho feito o possível para falar dos momentos que vivemos com tamanha dor em nossos corações e em outros momentos tão divertidos e alegres que vivemos ao seu lado. A saudade nos toma conta e, revendo suas fotos, meu Deus! Que vontade de abraçá-lo, beijá-lo e até mesmo de pegá-lo no colo.


Mas a vida segue em frente e, às vezes, penso que todos se esqueceram que eu e o Carlos perdemos um de nossos tesouros que foi o Vitor, embora saiba que nossos familiares e amigos talvez não queiram tocar no assunto para não nos fazer sofrer. 


Me perdoem se com estes relatos, faço correr lágrimas dos olhos das pessoas que tanto amo e que me ama também, só peço que me entendam pois infelizmente nada no mundo poderá fazer com que eu me esqueça de meu filho Vitor e do quanto ele foi, é e sempre será importante em minha vida e também na vida de outras pessoas.


Vou colocar alguns comentários postados, dentre os muitos, para que vocês tenham noção da importância da história de nosso filho Vitor estar sendo divulgada. Se vocês quiserem ver mais, é só acessar o site acima e conferirem esses e outros comentários de pessoas que leram a história dele."

Alguns dos comentários recebidos por Carlos e Viviani, pais do Guerreiro Vitor:

  Antonio Celso http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
Viviani e Amaral, como o próprio guerreiro Vitor disse: "Minha história ainda não terminou, tem mais ainda só que ainda não escrevi, em breve continuarei". O guerreiro simplesmente trocou a "armadura" que estava gasta e desconfortável, e substituiu por uma nova vestimenta, limpa, leve e muito mais agradável. O guerreiro Vitor simplesmente está em uma outra dimensão, invisível aos olhos da carne. Até porque “os mortos são os invisíveis, não os ausentes". Viviani e Amaral vocês foram agraciados com o maior empréstimo que o Senhor dos Mundos pode conceder à criatura humana. Lhes desejo muita fé, muita força, muita paz e muitas felicidades. O guerreiro continua a sua história!!!!!!!!!



  Nanci-silva http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
O guerreiro Vitor continua sua história ao lado do senhor, que papel mais importante!!!! E tão difícil para nós os pais que ficamos aqui, tenho dois filhos e a partir desse momento espero mudar, ser mais amável e compreensiva pois sou sozinha meu marido fica em São Paulo e as crianças me dão muito trabalho. Era o que eu estava precisando para saber que em minha casa está tudo certo, e que devo agradecer todos os dias porque graças a DEUS meus filhos nem ficam doentes são apenas crianças sapequinhas. Muito obrigada por ter me dado essa oportunidade de estar mudando em relação a eles para mim a história da vida de Vitor serve como aprendizado. Desejo aos pais muita luz, muita fé, paz e felicidades.


  Helena Noering http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
Adorei as histórias do seu filho, me lembra muito eu mesma quando era pequena escrevendo no meu diário kkkkk
Eu sei que nada no mundo vai amenizar a dor que vocês estão sentindo... Eu perdi meu padrinho a um bom tempo atrás, quando ainda era criança. Eu era realmente muito próxima dele. Sabe aquelas pessoas que simplesmente não tem como odiar, de tão legais que elas são? Ele sem dúvida tornou a minha infância muito mais mágica. Quando ele morreu, foi como se a minha infância tivesse morrido. Neste exato momento eu virei adolescente.
Agora, com 19 anos, já aprendi a lidar com a dor, mas sinto muitas saudades dele. A cada conquista, fico pensando: "nossa, eu queria que o Lars visse, ele ia ficar tão orgulhoso!".
Acredito que a gente nunca "sara" de verdade. A forma que encontrei de lidar com a perda foi "um dia, quando chegar a minha hora, eu vou poder ver ele de novo, e vou poder passar com ele toda uma eternidade". Façam o melhor que puderem de suas vidas, ajudem os que precisam, para ter um lugar ao lado do seu filho no céu, e assim ficar com ele por toda a eternidade. Acreditem que o momento de agora é apenas uma separação periódica, que ele foi um garoto muito bom, por isso já foi tão cedo para o céu...
Abraços, Helena.



  Erica http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
Não tenho nem palavras....
Pois nós que somos adultos nos entregamos a qualquer problema e muitas vezes achamos que o nosso é maior do que os dos outros!
A história do Vitor é uma verdadeira lição de vida para todas as pessoas independente da idade!
Pais do Vitor se sintam escolhidos por ele pois não importa onde ele esteja e sim que ele é e sempre será de vocês.


  Silvia http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
oi Viviani, as vezes quando estou sem forças para continuar minha trajetória, procuro no computador fontes de força e mais uma vez me carreguei,lendo esta bela e forte historia de vida do Vitor, eu também perdi minha filha e as vezes as forças se acabam, mas é só olhar para o lado que encontramos pessoas que tiveram a mesma dor, muito obrigado por ter essa coragem de compartilhar sua vida,muita força para vocês.


  Lilian http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
História linda e emocionante de um lutador que passou por tudo isso, mas cumpriu sua missão na terra de ensinar a muitos a nunca desistir e sempre lutar e também me mostrar que apesar dos problemas, temos que dar valor á vida, ao invés de reclamarmos, temos que agradecer a Deus por tudo que temos.E, assim como ele foi um guerreiro,também teve pais maravilhosos que sempre estiveram ao seu lado lutando junto,tenho certeza que hoje ele lá do céu, está sempre iluminando a vida de vocês Viviani e Amaral.
Um beijo



  Victor Hugo http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
Nossa... eu sou uma pedra no sentido emocional. Mas o que esse garoto passou em relato que ele mesmo escreveu, onde se vê maturidade, e ao lado a inocência de uma criança. Me emocionou como eu nunca tinha emocionado, me tirou muitas lagrimas, e também muito orgulho deste pequeno grande homem. Sem nem sequer ter o conhecido, ele me ensinou muito hoje.



  Rafaeldanzi http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
Obrigado Vitor! Por me dar a oportunidade de ler a sua história, e com base nela, lutar para realizar os meus sonhos, assim como você lutou e mostrou a sua honra e o seu espírito guerrilheiro! (Agradecimento aos pais, por ter sido os responsáveis por gerar esse espírito iluminado e ao Vítor, que pode não estar lendo, mas todo o nosso afeto está se refletindo nele.)


  Lucianomelias http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
É incrível aprender a lição de uma vida inteira, através da história de um menino de apenas 12 anos.
Abençoado anjo iluminado que, com apenas 12 anos, trouxe tanta força e sabedoria à todos em sua volta !!!
Um grande beijo nos corações de seus familiares !!!
Tenhamos sempre a certeza de que nada escapa à mão do PAI criador !!!


  Jessica http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
Nossa que história emocionante. Obrigado por me proporcionar nesses momentos que li este longo texto, muita reflexão e força pra que jamais desista de meus sonhos . Me interessei ainda mais quando vi que ele nasceu em Avaré - SP, pois moro praticamente do lado, cidade de Itaí - SP .
Realmente ele é um grande exemplo de vida !


  Thiago Monteiro http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
São nesses momentos em que eu, uma pessoa saudável, por mais que negue, não dou o valor que a minha vida merece. Com a idade do Vitor, eu não enfrentava nenhum problema grande e muitas vezes pensei em me matar... e hoje, li a história dele e vi na inocência representada por ele, uma força de um guerreiro, a sabedoria de um sábio, a experiência de um ancião e a bondade de um anjo. Com toda certeza essa história me fará repensar em sobre como me viro com meus problemas que comparados ao dele são probleminhas, mas que admito que não tenho a força de vontade que ele possui.
Sinto muito aos pais, a perda na forma física desse anjo, mas tenho certeza que na forma espiritual ele sempre estará com vocês. Na pequena passagem que ele teve na terra, já mudou várias vidas, e a minha se inclui, passarei a dar maior valor a tudo o que tenho, a que enfrento e ao que conquisto.
Vitor, um exemplo de força de vontade.


  Isis_miller_ http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
cada um tem seu papel aqui na terra e, o Vitor tão pequeno fez o dele com essa historia que deixou, fez mostrar o quanto é importante darmos valor a nossa vida,pedimos muitas coisas a Deus mas nunca agradecemos pelo o melhor que ele nos deu, que é o Don da vida e Vitor veio nos mostrar isso. Deus já está olhando por vocês e tenho certeza que o Vitor está num lugar melhor,do que nessa vida sofredora.
Continuem passando essa mensagem porque é linda e o mundo merece saber o que é a vida.


Fabiana Piassi - http://www.saudadeeadeus.com.br/depoimento01.htm  
Não sei nem o que dizer, apenas digo que sei qual é o sentimento nesse momento pois assim como Vitor,meu pai também tem Câncer, mas da mesma forma que o Vitor meu pai também tem toda sua família ao seu lado...
Não tenho duvidas que hoje Vitor é uma das estrelas mais brilhantes do Céu..
Vitor obrigada pela história, pois ela nos ensina muitas coisas como por exemplo a nunca desistir.
Fabiana Carla Piassi, Jundiaí- São Paulo


3 comentários:

Ana Amélia disse...

Não há nada que possamos fazer para que essa dor passen para sempre...! Isso representa a importância e a grandeza do amor que tínhamos pelo Vitor.
Eu amo vocês...

Binóculo Verde disse...

Realmente... um grande garoto... uma bela família!!!

Anônimo disse...

Vitor sem dúvida vc foi um grande guerreiro...sua história ficou marcada no meu coração e na minha memória,sempre que a leio vejo as lágrimas brotarem dos meus olhos.Fica c/Deus pois é o lugar que os anjos devem ficar.